Casas Penduradas

Constituem uma das imagens mais icónicas de Cuenca e são um dos seus símbolos indiscutíveis. As Casas Penduradas (Casas Colgadas) são edificações literalmente elevadas, penduradas sobre a foz do rio. As vistas mais espetaculares destas casas encontram-se desde a foz do rio Huécar, o local de referência onde a maioria dos visitantes da cidade vão tirar fotos com elas de fundo.



São resultado de um processo de remodelações que começaram na época medieval sobre as primitivas casas medievais. Faziam parte de um cordão pendurado sobre a Foz do Huécar. Não se sabe com exatidão a sua origem que, para uns, é muçulmana, enquanto, para outros, é de origem medieval (séculos XIV/XV). Poderia ter sido uma antiga casa senhorial em virtude do escudo do cónego Gonzalo González de Cañamares, encontrado no seu interior.

O mito, a magia e a lenda elevou-as à categoria de monumento. Atualmente, são constituídas por três casas restauradas no século XX. Em duas delas está localizado o Museu de Arte Abstrata Espanhola (Casas del Rey) e na outra um restaurante típico (Casa de la Sirena).

O curioso estado atual destas casas é produto das reformas idealizadas, em 1928, pelo arquiteto municipal Fernando Alcántara e às reconstruções posteriores, de 1950 e 1978. Desde 1959, há um restaurante onde pode provar a comida tradicional da região e, desde 1966, também no Museu de Arte Abstrata Espanhola, expõem-se obras de artistas tão famosos como Saura, Oteiza, Chillida, Torner, Zóbel ou Tàpies e outros autores da chamada “Geração Abstrata” de meados do século XX.

Se desejar, pode estacionar o seu veículo perto da zona num dos nossos estacionamentos públicos SABA, aberto 24 horas por dia, que se encontra na estação de Cuenca, na Avenida Cerro de la Estrella, s/n. Possui lugares para carregamento de veículos elétricos.